• André Vendrami

Guia prático para curtir o Carnaval de Rua sem medo e com segurança


Todos nós queremos sair para aproveitar os bloquinhos de rua no pré, no pós e no próprio Carnaval, mas também queremos que toda essa diversão não se torne um perrengue como temos visto em diversos relatos nas redes sociais. A gente sabe que a falta de segurança pública existe e que devemos exigir de seus responsáveis as soluções, mas enquanto nossa luta por tudo isso não chega ao fim, resolvemos escrever esse texto de forma a tentar minimizar os prejuízos e, até mesmo, correr menos riscos.


E deixemos bem claro, não estamos aqui de forma alguma culpando as vítimas sobre os roubos e até agressões sofridas nos bloquinhos – neste e em anos anteriores. A nossa intenção é realmente não fugir da luta, não ficar trancado em casa sem se divertir por medo e, sim, aproveitar ao máximo esses dias maravilhosos de folia que o Brasil nos oferece. Vamos lá?


1. Usem doleiras

As pochetes são artigos maravilhosos para os looks de Carnaval – e em tantos outros momentos. São práticas e parecem nos trazer segurança. No entanto, tamanha praticidade também facilita a ação dos ladrões infiltrados em meio à multidão. Nós temos ouvido muitos relatos de pochetes que foram abertas sem que seus donos percebessem – afinal, estamos propensos a ficar um pouco mais desatentos quando estamos com os amigos ou bebendo. Pois é, quando você vai abrir para pegar seu celular ou seu dinheiro, não há mais nada lá dentro.


Por isso, a doleira é ideal para guardar os objetos mais importantes e dinheiro. Por quê? Porque diferente da pochete, você pode coloca-la dentro da bermuda ou até mesmo dentro da cueca ou sunga. Dessa forma, é praticamente impossível que você seja furtado sem perceber. Além disso, elas custam muito barato. Em média, uma doleira custa R$ 15, dura todo o Carnaval e é bem fácil ser encontrada em barraquinhas de rua.


2. Atenção ao seu cartão de crédito

O ideal mesmo seria nem levar o cartão de crédito a eventos desse tipo, certo? Mas, tão complicado quanto isso é ficar andando também com um bolo de dinheiro para comprar bebida e comida nos blocos, não é mesmo? Por isso, se você optar por carregar consigo seu cartão, tenha um cuidado redobrado com os lugares onde vai usá-lo.


Os relatos de todos os anos são de muitos amigos tendo seus cartões clonados e até mesmo trocados quando usado em maquininhas de ambulantes. Os prejuízos podem ser enormes quando a pessoa que cai no golpe demora a notar que seu cartão de crédito vem sendo usado inadequadamente. Por isso, sempre confira se está digitando a senha na tela correta e se o valor registrado também está certo. Depois, exija o comprovante e observe se o cartão que o vendedor tirou da máquina é realmente o seu. Se possível, segure a máquina de cartão na sua e esconda a digitação da sua senha.


3. Deixe o celular em casa

Ok, essa dica é mais difícil de ser seguida. Todo o mundo quer tirar fotos, quer encontrar os amigos ou então chamar um Uber ou táxi por aplicativo para ir embora. Mas os celulares são os principais alvos dos ladrões nessas ocasiões de aglomeração e multidão. Se optar por deixar o aparelho em casa, marque um ponto de encontro fácil de chegar com seus amigos e aproveitem um pouco da vida longe de tanta tecnologia.

Mas, se você é daqueles que não vive sem seu smartphone, tome alguns cuidados importantes. O primeiro deles é trocar o seu telefone “oficial” por um velhinho que você tenha em casa, que atenda às suas necessidades e garanta que, caso seja perdido ou, infelizmente roubado, não fará grandes estragos financeiros e nem muitos danos aos registros fotográficos.


Se você só tem um celular, vai ter que arriscar. No entanto, vale a dica: não guarde o celular no bolso, mesmo que ele tenha zíper ou velcro. Não guarde também na pochete. Ambos são alvos fáceis de serem violados pelos espertinhos que estão à espreita por alguém mais desligado. Sempre o guarde dentro da doleira e a doleira dentro da bermuda ou cueca, não se esqueça. Além disso, só use o celular em locais onde não há aglomeração e você se sinta seguro em manuseá-lo.


4. Não ande sozinho

Carnaval é sempre uma grande roda de amigos curtindo, por isso, não há motivos para seguir o trio desacompanhado. Então, nada de dar aquele perdido nos amigos para encontrar outro amigo ou algum boy. Leve sempre companhia, seu amigo vai entender a necessidade de estar ao seu lado por segurança nesses momentos. Os ladrões também têm se aproveitado de pessoas sozinhas para atacar em grupos e nós ouvimos casos em que os assaltados ainda apanharam cruelmente.


Faça grupos de pelo menos 3 amigos para ir ao banheiro. O número 3 nesse caso é importante para que ninguém fique sozinho na fila enquanto um dos integrantes usam o banheiro químico, por exemplo. Essa medida de segurança garante pelo menos duas pessoas juntas em todas as situações. Por normalmente estarem instaladas em locais mais isolados, as áreas de banheiro são um prato cheio para ataques, inclusive, muitos de cunho apenas homofóbicos. Fique atento.

5. Beba com moderação

Essa dica vale pra todos os momentos, é claro. Mas é sempre bom destacar. Embora os dias de Carnaval sejam, normalmente, de muito calor, é importante se hidratar e ingerir bebidas alcoólicas com moderação. O álcool nos deixa com os reflexos mais lentos, menos seletivos e mais propensos a esquecer ou pular etapas básicas de ações como fechar o zíper da pochete ou da doleira. Isso acaba facilitando ainda mais a vida de quem está analisando o comportamento alheio a fim de roubar um celular ou até mesmo dinheiro.


Tem alguma dica para acrescentar? Manda pra gente aqui nos comentários. Conta aí o que você faz que te ajuda a curtir o “Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô” sem perrengue e preocupação! Nos vemos nos bloquinhos, hein!

© 2017 by Unicorns Brazil | CNPJ: 27746509/0001-34

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon